pppp
Antigos e curiosos anúncios
pppp
07/07/2017

1. Livraria Econômica (1876)

Miguel de Souza Borges Leal Castelo Branco, conhecido jornalista, historiador, professor e contador campomaiorense, fora descrito por Monsenhor Chaves como alguém que passou muitas adversidades (perseguição devido à Balaiada, início tardio nos estudos, cego, esposa falecida três anos depois do matrimônio e a quase miséria no fim da vida), porém sem nunca ter desistido de seus ideais.

Foi o próprio Miguel Borges um dos mais atuantes na imprensa local tendo lançado o Almanaque Piauiense e vários jornais como A Imprensa, Liga e Progresso, Aurora Teresinense e Revista Mensal. Neste último periódico, voltado exclusivamente ao comércio, divulgava suas atividades na Livraria Econômica, seu ponto comercial com endereço na rua Paissandu no número 47.

Chama a atenção no anúncio os serviços de comissão, procuração, consignação, algo incomum de ser feito em uma livraria. No entanto, eram encargos de seu ofício de comerciante. Soma-se a isso a sua importante função de gerente da Companhia de Navegação do Rio Parnaíba.

E bem no final, um curioso detalhe: "Goiabada superior [...] em caixa de flandres". Para quem não conhece, a folha de flandres é um material laminado de ferro ou aço, muito resistente. Antigamente servia para armazenar diversos produtos, entre eles a famosa goiabada da marca Peixe.

pppp
Ao lado, anúncio da Livraria Econômica.
(1º de Setembro de 1876 / Revista Mensal /
Acervo digital Teresina Antiga)
(Clique para ampliar)

2. Máquina de costura Singer (1907)

pppp
Máquina de costura Singer.
(1907 / Jornal O Comércio / Acervo digital Teresina Antiga / Foto por: n/d)
(Clique para ampliar)

Máquinas de costura já eram comuns nessas bandas do Nordeste. Aqui vemos uma movida a manivela à venda na antiga Rua Grande, hoje Rua Álvaro Mendes, no Centro de Teresina. Tratava-se de uma inovação se considerarmos que por muito tempo haviam apenas modelos movidos com os pés.

No mercado desde 1851 e com uma loja no Rio de Janeiro desde 1858, a Singer só obteria registro definitivo para atuar no Brasil em 1905, exatos dois anos antes deste anúncio na imprensa teresinense. Artigo de luxo e caríssimo, logo se vê que só uma parcela ínfima dos teresinenses poderia comprá-la.

3. Loção Aurora (1916)

Um produto chamado Loção Aurora prometia algo inusitado: restituir a cor primitiva aos cabelos brancos, além de destruir a caspa.

A tal mercadoria não era a única a prometer milagres, para não dizer algo impossível de acontecer. Era algo comum no início do século XX vários produtos, muitos deles voltados ao público masculino, fazerem promessas estranhas como até, por exemplo, evitar calvície ou mesmo fazer com que os calvos voltassem a ter cabelos.

A Loção Aurora era vendida na Pharmacia Collect, estabelecimento de propriedade do farmacêutico Collect Fonseca. Porém, não vivia nesse local com sua esposa Lavínia Fonseca, pois se sabe que os comerciantes teresinenses, antes da chegada dos carcamanos (Comerciantes sírio-libaneses), não tinham o hábito de transformar sua casa em comércio e vice-versa. Sua residência era a Chácara Lavinopólis, uma luxuosa casa ao lado da Igreja São Benedito. Demolida virou um posto de combustíveis ainda hoje existente na movimentada Avenida Frei Serafim.

pppp
Ao lado, fragmento de anúncio da antiga Pharmacia Collect
evidenciando a Loção Aurora.
(11 de abril de 1916 / Correio de Theresina /
Acervo digital Teresina Antiga)
(Clique para ampliar)

4. Elixir de Nogueira (1925)

pppp
Depoimento de 1914 de Bonifácio Ferreira de Carvalho sobre o Elixir de Nogueira.
(Março de 1925 / O Malho / Acervo digital Teresina Antiga)
(Clique para ampliar)

Cura da sífilis. Era o que prometia o Elixir de Nogueira, "o grande depurativo do sangue", cuja fórmula levava nogueira, salsa, caroba e guaiaco. Foi criado pelo farmacêutico João da Silva Silveira e tinha aprovação da Junta de Hygiene do Rio de Janeiro. O produto teve seu auge ao ser vendido para outros países da América do Sul e participação na Exposição Internacional de 1922, no Rio de Janeiro.

O sucesso era corroborado por inúmeros testemunhos na imprensa, por gente de todo canto do Brasil. Um desses testemunhos, bastante usado, foi um de março de 1914, efetuado por Bonifácio Ferreira de Carvalho. Diretor da Saúde Pública do Piauí e da Santa Casa de Misericórdia de Teresina, informava ter tido maravilhosos resultados no uso do elixir em seus pacientes, principalmente na regeneração do sangue.

Curiosamente, muitas pessoas hoje em dia guardaram na memória o discurso de que seus pais, avós e parentes mais antigos afirmavam ter pelo menos manchas removidas e diversos outros problemas de pele solucionados através do uso do Elixir de Nogueira. Algo que não conseguiam usando outros fármacos.

5. Pedro Machado (1976)

pppp
Anúncio da Pedro Machado S.A.
(1976 / Jornal O Dia / Acervo digital Teresina Antiga)
(Clique para ampliar)

A Pedro Machado ficava na rua Areolino de Abreu, na Praça Rio Branco, movimentado ponto do Centro da cidade. Curiosamente foi nesse endereço, a partir de 1947, que a Rádio Difusora de Teresina funcionou. O prédio, inclusive, foi construído para abrigar os estúdios, o auditório e toda a administração. Quando o comerciante Pedro Machado alugou o imóvel, a rádio passou para o piso superior.

Era uma das casas comerciais mais famosas de Teresina na década de 1970 e vendia de tudo: de eletrodomésticos a automóveis - sim, era uma concessionária também, principalmente dos modelos Ford. Depois de um tempo a Pedro Machado se mudou para um prédio próprio, na Avenida Barão de Gurgueia, bairro Tabuleta (Zona Sul), até que deixou de existir.

Ficou marcada, porém, na mente dos antigos teresinenses. Impossível não esquecer dos produtos à disposição: geladeiras, os antigos eletrofones estéreos e os televisores da marca alemã Telefunken e da holandesa Philips, modelos com o qual muita gente viu por aqui a Copa do Mundo de 1978, na Argentina.

6. Copa do Mundo na Espanha (1982)

pppp
O Mundial de 1982 nos jornais teresinenses: anúncio de rádio portátil das Casas Pernambucanas e a promoção do Guaraná CERMA.
(1982 / Jornal O Dia / Acervo digital Teresina Antiga)
(Clique para ampliar)

Com a proximidade da Copa do Mundo na Espanha, em 1982, muitas casas comerciais e empresas faziam promoções visando o evento futebolístico e pensando, é claro, nos lucros e na visibilidade que isso lhes traria.

As Casas Pernambucanas, mesmo em tempos de televisão, anunciava um rádio portátil Philips para ouvir a narração dos jogos. Era explicável. Em tempos em que não existia internet e nem mesmo celular, era a única maneira de acompanhar as partidas caso não estivesse em casa ou com um televisor próximo. Sem falar que algumas pessoas preferiam ouvir a narração do rádio e não a da TV. Baixavam até o volume do televisor para isso.

Já a CERMA promoveu vários prêmios àqueles que encontrassem a tampinha premiada do seu guaraná. Em caso de sorte grande deveriam procurar um representante autorizado da CERMA mais próximo (No Piauí era a CERPI e diversos comerciantes espalhados pela capital que vendiam o tal guaraná) ou em dois endereços em Teresina: na sede da CERPI na rodovia TR-9, Km2, Socopo (Nessa época zona rural da cidade) e na Loja D, número 960, na rua Rui Barbosa (Centro/Norte).

Mas ninguém superou o Armazém Paraíba. A empresa do Grupo Claudino, a exemplo do que havia feito no Mundial anterior, na Argentina, patrocinou a viagem de seus cinco funcionários mais antigos até Barcelona, na Espanha, para assistir as partidas Brasil x Argentina e a fatídica Brasil x Itália em que a seleção do técnico Telê Santana foi eliminada.

7. Jelta (1993)

É um equívoco achar que o televisor preto e branco desapareceu por completo em 1972, ano em que se iniciaram oficialmente as transmissões em cores no Brasil. Muita gente no país ainda utilizava os televisores com o velho sistema de duas cores, algo que perdurou durante muito tempo.

Mas é estranho que vinte anos depois ainda fossem comercializados aparelhos com esse tipo de sistema. É o que mostra o comercial da Jelta, em 1993, veiculado pela antiga TV Pioneira, afiliada da Bandeirantes nesse período. Ainda nessa época eram vendidos TVs em preto e branco em Teresina. Com certeza mais baratos e com algum público consumidor.

E a tal correção TRD? Trata-se da Taxa Referencial Diária. Foi criada durante o governo Collor, em 1991, através do Plano Collor II. Era uma medida para combater a inflação herdada do governo Sarney e evitar o fiasco do gatilho salarial (Toda vez que a inflação aumentava, aumentava-se o salário, o que gerava mais inflação). Em vez de acompanhar a subida dos preços, os investimentos e financiamentos no país passaram a acompanhar a TRD que era nada mais nada menos que uma taxa de juros. Na prática virou correção monetária, compensando a perda de valor da moeda, e evitando o aumento de salários e a inflação galopante que nessa época beirava a mais de 1600%!

Como seu valor era divulgado diariamente, esperava-se diminuir a inflação e, consequentemente, baixar os preços dos produtos o que gerou protestos de muitos comerciantes e também alguns outros setores da sociedade uma vez que congelava os salários. Por esse motivo, muitas lojas informavam que os preços de seus produtos já estavam corrigidos por essa taxa, o que nem sempre refletia a realidade.

8. Festival de Recreação Lumasa e patrocinadores (1993)

Vemos aqui uma outra propaganda da TV Pioneira, dessa vez sobre um festival organizado pela antiga academia de musculação Lumasa. Realizado no dia 18 de abril de 1993 (Domingo), com início a partir das 17h, na Praça dos Correios do bairro Dirceu, contou com bandas locais de rock tocando covers dos grupos musicais em evidência naquele ano. O nome recreação, lembrando diversão e até mesmo o recreio das escolas, ao que tudo indica não agradava muito os headbangers da capital, mas vale como registro histórico.

Porém, o comercial chama mais a atenção pelos seus patrocinadores: os modelos de computadores da Fluxo Data anunciados em dólar!; o Restaurante Mandacaru com endereço na Praça do Fripisa; os serviços de balanceamento e alinhamento da Rally Pneus que nessa época nem se cogitava existir os métodos computadorizados de software 3D; e a Staff Construtora e a Imobiliária Rocha & Rocha mostrando os novíssimos prédios da Avenida Marechal Castelo Branco dando destaque para o condomínio Beverly Hills, no bairro Cabral.